Uma bandeja chamada Vida

10/01/2011

Cheguei nesta conclusão: a vida é como a bandeja que um garçom carrega.  Trabalhando no bar, é comum eu sair com a bandeja na mão, equilibrando copos e garrafas, levando ou recolhendo, desviando de uma multidão aglomerada, dançando, pulando, rindo, uns brigando, outros melancólicos e tantos outros sentimentos que o álcool e a música afloram nas pessoas.

E equilibrar a bandeja, assim como a vida, não é fácil. O melhor equilíbrio começa com uma distribuição de peso (prioridades) correta, como um alvo: do centro para as extremidades. É no centro que o peso principal estará, e assim preenche-se a bandeja até encher.

Ou seja, selecione o principal da vida e coloque no centro, como alicerce. Em seguida vá complementando a vida ao redor dessa prioridade, sempre se lembrando de equilibrar tudo sem se esquecer que uma hora a bandeja encherá, e será preciso esvaziar, trocar, mudar o que se carrega. Saiba lidar com as mudanças na vida.

E na hora de tirar, comece pelas beiradas, sendo o núcleo, o peso principal, o último a ser retirado. É uma engenharia a vida, e garçons são exímios conhecedores de logística porque deve-se carregar tal bandeja (e a vida) sem que nada esfrie, ou esquente.

E cada um tem sua bandeja para equilibrar, então não se preocupe quando alguma coisa cai. Acidentes acontecem, se quebrou um copo, se brigou com alguém que saiu da bandeja, não se esqueça que o resto da bandeja está lá sendo equilibrado, então levante a cabeça e bola pra frente, sem pensar na taça quebrada que já faz parte do passado.

Se algo saiu da bandeja ou vida, abriu-se espaço para preencher com outra coisa. Se tem algo novo para entrar e não encontra espaço, é necessário se desfazer, trocar, por mais dolorosa que seja a escolha, afinal, não carregamos tudo e todos na bandeja, não dá para equilibrar, e quando tentamos fazer isso, a chance de tropeçar e derrubar tudo que estava em cima é altíssima.

Não conseguiremos carregar todos que gostaríamos.  Leve na vida apenas o que você consegue carregar sem deixar cair, e quando estiver em uma situação difícil, não se apavore: ande mais devagar, recue se precisar, seja cauteloso para não derrubar nada, não tenha pressa, não se incomode tanto com prazos e cobranças quando você tem consciência do seu esforço em fazer o melhor.

Aparecerão na vida, como aparecem no bar, pessoas querendo ajudar, dando os copos, fazendo o monte de pratos, etc. Isso é ótimo, mas cuidado com excesso de ajudas com a bandeja (interferências na sua vida):  nunca coloque ou tire nada da bandeja do garçom, pois é ele quem sabe como está sendo equilibrado, é ele quem sabe a ordem como tudo está lá, e como deve sair cada copo, cada peso. Cada um tem sua bandeja (vida) para tomar conta.

Tem uns que equilibram com as pontas dos dedos, outros com a palma da mão. Ainda tem aqueles que centralizam a bandeja no pulso. Não existe uma regra para equilibrá-la, muito menos a vida. Escute opiniões, dicas e conselhos, mas quem decide é você! Procure a melhor forma de equilibrar sabendo que o importante é se sentir confortável e confiante para carregar pesos na vida, o que não é fácil.

Equilíbrio é a palavra chave, tanto na vida quanto com uma bandeja na mão. Seja equilibrado.

Anúncios